Caso de sucesso: como a Celulose Irani entrou no ranking das empresas mais sustentáveis do Brasil

iranilogomarcaA Celulose Irani S.A. é uma organização industrial do setor de papel e celulose que está presente no mercado há mais de 70 anos e que atualmente possui unidades fabris e escritórios em diversas cidades do Sul do Brasil e São Paulo. A empresa possui a visão de ser uma das 3 maiores empresas brasileiras nos setores de Papel para Embalagens e Embalagens de Papelão Ondulado e a missão de buscar desenvolvimento com equilíbrio entre meio ambiente e sociedade.

Por entender a importância de incluir a sustentabilidade em suas políticas, a Irani possui diversas iniciativas nessa área, como a implementação de sistemas de gestão ambiental, projetos de neutralização das emissões de carbono, estabelecimento de metas de redução das emissões, gerenciamento dos resíduos, tratamento de efluentes, entre outras. Embora já fosse uma empresa com destaque na questão ambiental, queria ir além. Confira abaixo, o caso de sucesso da experiência da Irani com a aplicação da Análise do Ciclo de Vida (ACV).

 

A Solução

 

A Irani percebeu que precisava conhecer melhor os seus processos produtivos sob o ponto de vista da geração dos impactos ambientais e que a melhor ferramenta para desenvolver esse estudo era a realização de uma Análise de Ciclo de Vida (ACV). Por isso, em 2012 procurou o Ciclog – Grupo de Pesquisa em Avaliação do Ciclo de Vida da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) para desenvolver o projeto de pesquisa com objetivo de entender as cadeias produtivas do ponto de vista ambiental, através a metodologia de ACV, se enquadrando na missão, visão e valores da empresa.

Caso de sucessoPara esse estudo foram escolhidos dois dos seus principais produtos: sacos de papel para pão e embalagens de papelão. Foram consideradas várias etapas ao longo do ciclo de vida, incluindo o plantio das mudas de árvores, produção e obtenção das matérias primas, fabricação, transporte, além de outros processos relacionados com esses produtos. Os impactos ambientais gerados por essa cadeia foram analisados sob o ponto de vista de 19 categorias diferentes, incluindo: mudanças climáticas, consumo de recursos naturais, demanda de energia, ocupação de terra, toxicidade, acidificação, entre outras.

 

Resultados

 

Após a avaliação dos impactos ambientais gerados ao longo do ciclo de vida dos seus produtos, foram identificados os gargalos do sistema e as oportunidades de melhorias em diversos processos produtivos. De posse dessas informações, os gestores da empresa definiram quais ações deveriam ser implementadas para a redução desses impactos. Entre essas medidas destacam-se:

 

  • Realizar a compra de energia 100% renovável, contribuindo para reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) associadas às emissões de fontes não renováveis que colaboram para as mudanças climáticas;
  • Implantar projeto de coleta de gases não condensáveis que contribuem para a acidificação do solo;
  • Implantar o fechamento de circuito de efluente nas unidades industriais de Santa Catarina, reutilizando-os no processo. Com isso, os impactos ambientais nos recursos hídricos serão reduzidos.

 

Realizadas essas melhorias, a empresa divulgou os dados do estudo e os ganhos ambientais obtidos através das ações de redução dos impactos. Para essa divulgação, utilizou veículos de comunicação e o seu Relatório de Sustentabilidade anual, demonstrando para seus stakeholders que de fato havia feito melhorias em seus processos produtivos e que buscava cumprir as políticas estabelecidas em sua missão. Também há no relatório a proposta de ampliar os estudos de Análise do Ciclo de Vida, para incluir outras etapas do ciclo de vida e conhecer melhor etapas como o descarte do papel e possibilidades de reciclagem.

Realizar ACV foi bastante gratificante para nós, pois acabamos conhecendo profundamente nossos processos produtivos e suas interligações. Esse estudo não avaliou apenas a empresa Irani, mas incorporou os impactos da produção dos insumos e vários outros, e esses dados são muito relevantes. Ao contrário do Inventário de Gases de Efeito Estufa que também fazemos, mas que avalia apenas as mudanças climáticas, na ACV foram avaliadas 19 categorias, nos fornecendo informações bem mais completas e precisas”. 

Cristian Marquezi – Gerência para Gestão em Excelência – Celulose Irani S.A.

Devido a esse trabalho, a Celulose Irani S.A. foi considerada umas das “100 empresas mais sustentáveis do Brasil” pela Revista Exame, em seu Guia de Sustentabilidade 2013. Essa ação valorizou a marca da empresa, atraiu novos clientes e gerou um aumento das vendas, pois relacionou seus produtos a preocupação com o meio ambiente. A Irani estabeleceu um diferencial em seu sistema produtivo e, com isso, antecipou-se a seus concorrentes e criou um benchmarking, na qual os demais precisam se comparar.

Até a próxima!

Converse com um consultor EnCiclo

Infografico 6 beneficios dos projetos de sustentabilidade